Kit Intelectual – menosketiago

Agosto 28, 2007

Mulher & Homem

Avaicho os intelectuais!

Contava-se antes do 25 de Abril uma anedota em que dois amigos conversavam num café. Perguntava um: «Quantos são 2 mais 2?» E o outro: «Quatro.» O primeiro de novo: «E quem foi o primeiro rei de Portugal?» «Acho que foi D.Afonso Henriques…» «Põe-te a pau, pá, que a PIDE anda atrás dos intelectuais!» A PIDE acabou entretanto, mas os intelectuais têm boas razões para continuarem desassossegados. Saber quantos são 2 mais 2 e quem foi o primeiro rei de Portugal (ou que a água ferve a 100 graus e que o ângulo recto é 90…) é ainda hoje algo capaz de suscitar mais hostilidade social do que acender um charro no meio da missa e o melhor que tem a fazer quem sabe coisas como estas é não o confessar a ninguém.

«Intelectual» (normalmente diz-se «pseudo-intelectual») ou «académico» são os piores insultos que em Portugal se pode dirigir a um autóctone. E a suspeita de que alguém lê coisa diferente do Correio da Manhã e dos livros da D. Margarida Rebelo Pinto, ou que vê o canal Arte em vez de ouvir as prelecções do professor Marcelo, é suficiente para acabar com a carreira mais promissora. Pacheco Pereira no PSD, e Manuel Alegre ou Carrilho no PS, que o digam.

Alegre, ainda por cima, lê e escreve versos e, entre nós, «poeta» é injúria pior do que «intelectual». Aliás, é sabido que por sermos um «pais de poetas» que o défice público atingiu as épicas proporções que todos conhecem(…) Por sua vez, Carrilho é «filósofo» e chamar «filósofo» a alguém, sobretudo a um politico (mas não só: imagine o leitor que o vizinho lhe chama «filósofo» numa reunião do condomínio, admitiria uma coisa dessas sem lhe dar logo um tabefe?), é tão ou mais grave que chamar-lhe «poeta».

Nas universidades, os estudantes que estudam em vez de copiar nos exames são «marrões» e os poucos que lêem são «ratos de biblioteca», sendo que o problema não é serem «ratos» (ser “rato” na politica, nos negócios, na vida em geral, é um elogio que se agradece com um sorriso de modéstia), o problema é serem, bleugh!, «de biblioteca». Um estudante «rato» é o que consegue tirar o curso sem ter lido um livro (…) enquanto o colega «intelectual» continua estupidamente encafuado na biblioteca a preparar o mestrado para poder inscrever-se num Centro de Emprego. (…)

Manuel António Pina, in Visão, 15 de Março de 2007 ”

http://www.mangacurta.com/artigos/kit-intelectual/

Uma resposta to “Kit Intelectual – menosketiago”

  1. Fico contente de o trabalho vos ter despertado a atenção😉

    Cumprimentos!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: