MyvuConheçam o Myvu Personal Media Player, um revolucionário óculos futurista que transforma o seu iPod video em um cinema portátil; o efeito, ao usar o óculos, é de que você está assistindo vídeos em uma tela imensa. E o melhor de tudo: você fica com as mãos livres para fazer o que quiser enquanto assiste seus filmes em uma tela virtual flutuante.Os fones do Myvu possuem tecnologia de remoção de ruídos e vêm com adaptadores em tamanhos pequeno, médio e grande, para satisfazerem à todos.

Ele vem também com um controle remoto pendant, que permite acessar as funções mais comuns do iPod sem tirá-lo do bolso ou da mochila: play, pause, avançar, retroceder e volume. Além disso, ele permite que você ajuste a qualidade da imagem ao seu gosto, com botões específicos para regulagem de brilho e contraste.

Mulher usando o Myvu

O Myvu vem também com um pacote de bateria adicional para iPods de 30GB, 60GB e 80GB, proporcionando até oito horas de visualização de vídeos. O resistente case da bateria funciona também como proteção para o iPod. Além disso, em vez de assistir vídeos é possível usar a carga extra sem os óculos, com mais de 20 horas extras de músicas rolando sem parar.

O produto possui o selo “Made for iPod” e custa US$300. Só não vão usar dirigindo, hein!

[Dica do Gustavo Voyzuk.]

O Crisform realiza a segunda edição do CONCURSO “ PRÉMIO CRISFORM” entre os dias 15 de Maio e 31 de Julho de 2007.

Este concurso destina-se a estreitar a cooperação entre o Crisform e os trabalhadores vidreiros, estimulando o saber fazer e a criatividade dos vidreiros, assim como o know -how e a tradição vidreira.

A temática deste concurso é livre. As obras deverão ser inovadoras e resultar da criatividade e know-how do vidreiro.
Leia o resto deste artigo »

Guia Do Ilustrador

Maio 29, 2007

Bom, essa é uma dica super legal que eu achei no blog 4 de paus, de um livro que fala sobre “o que é ser um ilustrador” e serve como guia para os ilustradores e para quem quer entrar nessa carreira!

O Guia dos Ilustradores não tem a intenção de servir de regra ou lei – nem esgotar o assunto – é apenas um guia, onde cada um tem a liberdade de trabalhar como quiser, mas agora consciente do que pode ou não ser adequado para si mesmo e para a profissão.(texto do site guiadoilustrador.com.br)

Visite o site do Guia do Ilustrador, aqui.
illustrador0001.jpg

Ou Baixe o arquivo em pdf, aqui.

www.bantjes.com/

Maio 28, 2007

fader / jerry garcia

Centerfold :: Vector art :: May 2007

See the whole project

gdc/bc salazar awards 2007

Poster :: Vector art :: May 2007

See the whole project

Wired 15.05

Title page :: Vector Art :: April 2007

See the whole project

tupigrafia 7

Cover :: Pen & Ink :: (November 2005) April 2007

See the whole project

typecon 2007

Identity + :: Vector Art :: April 2007

See the whole project

All Purpose Jeans

Jeans Pockets :: Embroidery (from vector) :: April 2007

See the whole project

Wallpaper* LE Cover

Cover :: Vector Art :: March 2007

See the whole project

G2: Surrealism

Cover :: Vector Art :: March 2007

See the whole project

150 Valentines

Hand-drawn Valentines :: Pen & Ink; Ballpoint pen; Pencil Crayon; Gold pen :: February 2007

See the whole project

design matters live

Poster :: Vector Art :: January 2007

See the whole project

Seduction (Yale) Poster

Poster titling :: Vector Art :: December 2006

See the whole project

Computer Arts List

Diagram (almost) :: Vector Art :: November 2006

See the whole project

seed magazine mouse

Illustration :: Vector Art :: December 2006

See the whole project

aiga holiday tape

Non-denominational, Seasonless packing tape :: Vector art :: December 2006

See the whole project

halloween 2006

Small poster :: Pen & ink + digital composition :: October 2006

See the whole project

New York Times Holiday Books

Cover :: Vector art :: December 2006

See the whole project

fox river paper

Portfolio booklet :: 7.5×11.5, 40 pages :: November 2006

See the whole project

wired, november 06

Title page & illustrations :: Vector Art :: November 2006

See the whole project

wedding hearts

Letterpress Invitation :: Vector art :: August 2006

See the whole project

GDC/BC Annual Report 2005

28-pages, self cover :: 6×7 :: printed on 16 # Chartham Translucent :: October 2006

See the whole project

influence map

Diagram :: Vector art :: July 2006

See the whole project

the canon

Book cover :: Vector art :: August 2006

See the whole project

agape

Custom art :: Ballpoint pen :: September 2006

See the whole project

InStyle Weddings feature

Five magazine illustrations :: Ink :: August 2006

See the whole project

urban forest project

Get Well Soon :: Banner :: June 2006 :: Vector art

See the whole project

Print magazine July/Aug 2006

Cover and 8 pages interior :: Vector art :: June 2006

See the whole project

i want it all

Peony petals :: June 2006

See the whole project

gilbert paper (with thirst)

Engraved line art :: June 2006

See the whole project

ESPN Magazine

[Unpublished] :: Title Page :: Vector art :: May 2006

See the whole proje

Maria José Palla – Universidade Nova de Lisboa

Maria José Palla

A conferência
Num ambiente informal, Maria José Palla falou do seu trabalho e da sua relação consigo mesmo, expresso a partir de uma série de auto-retratos em suporte fotografico, feitos ao longo de vários anos.

Maria José Palla falou do medo normal de muitos artistas assumirem o estudo e o desenvolver do auto-retrato, não sendo este então um mero louvar do ego artístico de quem o faz.
+ texto sobre a conferência em breve…

Maria José Palla - Fotografias - Autoretratos,  Galeria Trem, Faro Maria José Palla - Fotografias - Autoretratos,  Galeria Trem, Faro Maria José Palla - Fotografias - Autoretratos,  Galeria Trem, Faro Maria José Palla - Fotografias - Autoretratos,  Galeria Trem, Faro

Victor Palla por Maria José Palla ( 25 min. ), encomenda do Centro Nacional de Fotografia, Janeiro 2000.
Video Album “Da maneira que fui doente do humor menencórico e dele guareci”, duração: 7, 5 min. 2000
+ vídeos da conferência em breve…

Maria José Palla
Maria José Palla é professora de História de Arte e de História do Teatro na Universidade Nova de Lisboa. Viveu muitos anos em Paris onde se doutorou na Universidade da Sorbonne com uma tese sobre a simbólica do traje em Gil Vicente. É diplomada em História de Arte pela École du Louvre e autora de numerosos livros e artigos sobre Gil Vicente, o teatro do século XVI, e a pintura portuguesa do Renascimento.

Maria José Palla - Fotografias - Autoretratos,  Galeria Trem, Faro Maria José Palla - Fotografias - Autoretratos,  Galeria Trem, Faro Maria José Palla - Fotografias - Autoretratos,  Galeria Trem, Faro Maria José Palla - Fotografias - Autoretratos,  Galeria Trem, Faro

A par dos estudos literários dedica-se à fotografia, tendo realizado livros e exposições em Portugal e no estrangeiro. Recentemente rege a cadeira de Literatura e Fotografia na mesma Universidade.

Videos – “et j’ai perdu mon vol dans leurs chemins lactes”

“et j’ai perdu mon vol dans leurs chemins lactes”

Retirados da exposição ” Landscapes ” ( Feira Internacional de Arte Comtemporânea – Lisboa ), e ” A Roda do Tempo ” ( Lisboa ). Filmes de Maria Jose Palla e editados por Nuno Rodrigues e Sousa.

Links

http://mjpalla.no.sapo.pt

15th Curtas Vila do Conde, 7-15 Jul'2007

Festival Internacional de Cinema

Preparando neste momento a 15ª edição, o Curtas Vila do Conde mantém aquela que é a sua característica mais vincada: a evolução. Ao invés de se acomodar a uma fórmula, o Festival escolheu, desde o início, focar a sua atenção na transformação e na mudança, mantendo-se atento a todas as manifestações que têm lugar no campo do cinema. É por isso que não só a filosofia de programação vai sendo regularmente modificada, para poder acompanhar os fenómenos emergentes no campo das artes e a evolução da linguagem cinematográfica e videográfica, como há também uma aproximação (e contaminação) às artes plásticas, de onde é normal saírem cada vez mais autores com novos trabalhos.
O Curtas constrói-se, então, em torno das secções de Competição Nacional e Internacional de curtas metragens. À volta deste núcleo gravitam as secções Work in Progress, um espaço de programação onde é habitual ver regressar alguns realizadores que, de algum modo, estiveram ligados ao passado do Festival, e o Take One!, onde a mais jovem geração de estudantes apresenta as curtas metragens de maior relevo entre as produzidas recentemente nas escolas de cinema do país.

A estas secções, acrescente-se ainda a recente criação do Remixed, uma nova e arrojada proposta de programação que promoverá interacções entre a criação visual, audiovisual e musical, e, ainda, da secção agora denominada InFocus, dedicada a autores em destaque especial, retrospectivando percursos individuais na realização cinematográfica e que aqui encontram muitas vezes a sua primeira grande apresentação em território nacional e, por vezes, europeu.

Este ano podemos ainda contemplar uma exposição de arte contemporânea onde o fio condutor é a obra de Alfred Hitchcock. Foram escolhidos trabalhos de autores que tem desenvolvido um trabalho reconhecido internacionalmente nessa aproximação/ exploração de um imaginário hitchcockquiano.

É também um projecto sobre a atracção das imagens. A atracção entre a arte contemporânea e o cinema.

Nos filmes de Alfred Hitchcoock não existe um tempo preciso mas um vórtice de pulsões. São filmes de suspense, ou seja, vivem em paragem, em suspensão de tempo. Os sonhos não têm tempo. A sua silhueta, como uma presença conhecida, passa discretamente, nas sequências dos seus filmes. Pode olhar-nos pela câmara. Alfred é real dentro dos seus sonhos.
É por isso que Spellbound, feito em colaboração com Salvador Dali, é um dos filmes que melhor decompõe esta sua visão analítica, surreal e perversa da realidade. As suas mulheres não existem: são heroínas que se vestem com uma elegância que é a depuração do sexo feminino em tweed; os seus heróis substancializam-se num chapéu e nos seus filmes o sonho veste-se de uma realidade americana que nunca existiu.

Tal como os filmes de Alfred Hitchcock vivem no interior das pulsões dos seus personagens, esta exposição vive do coeficiente pulsional que os trabalhos expostos podem vir a suscitar no público.

A secção In Focus, (retrospectivas de autor) irá revelar autores emergentes do panorama cinematográfico, bem como outros já consagrados. Este ano, um desses destaques é Peter Whitehead:

Nascido em Liverpool em 1937, Peter Whitehead é considerado como um dos mais importantes autores do cinema avant-garde do Reino Unido, estando entre um grupo de realizadores que abalou a industria cinematográfica europeia nas decadas de 60 e 70.

Apesar de inactivo desde o final dos anos 70, deixou documentos importantes que influenciaram uma série de jovens realizadores de cinema experimental na Europa e nos EUA e foi precedente da estética que se tornou popularizada como videoclip, antes do aparecimento da MTV. Da sua obra, destaques incontornáveis: Pink Floyd London 66-67 (1967), documentário dedicado a Syd Barrett (Pink Floyd); Tonite Let’s All Make Love In London (1968), outro filme que retrata uma Londres psicadélica, underground, no auge de perturbações politicas e revoluções musicais; Charlie is my darling: the Rolling Stones on tour (1968), filme raramente exibido, outro documentário histórico sobre os Rolling Stones, com imagens de uma época revolucionária e filmada através de uma abordagem inédita para a altura.

visita o site oficial www.curtas.pt

Como tem sido hábito, a programação de cinema do Festival vai ser acompanhada por eventos musicais e festas com Dj’s internacionais. Para a edição deste ano, grande parte dos Dj’s que irão marcar presença no [-3b] Clube do Festival, são dos mais reputados internacionalmente e, no caso de Rui Vargas, de maior renome a nível nacional.

Peter Callesen

Maio 22, 2007

f Way Through, 2006

Acid free A4 115 gsm paper and glue

plataformahumana.com

Maio 22, 2007

pick chair

Maio 22, 2007

Pick Chair in the Wild- 05.21.07

pickchairmain.jpg
Studio Dror has an incredible exhibition at Yigal Azroul’s boutique in the meat packing district… as if the fashion isn’t incredibly displayed already, infuse a center row of installations, sinks, chairs, cabinets, and so much more… but most exciting? Seeing the Pick Chairs (manufactured by BBB) in person! (and surrounded by mannequins and security guard/bouncer guys) See more about the pick chair below, the detail on the hinges and the etchings were even more drool worthy up close. (and there’s a video of it in action on the Studio Dror site)

pickchair1.jpg

pickchair2.jpg

pickchair3.jpg

pickchair35.jpg

pickchair4.jpg

pickchair5.jpg

pickchair6.jpg

BAAS

Maio 22, 2007

[ WORKS ]

[ PROJECTS ]

[ EXHIBITIONS ]

[ ABOUT ]

[ ADDRESSES ]

[ MORE ]

[ E-MAIL ]